Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as actualizações do blog!

28 de fevereiro de 2013

Batalha


A Batalha foi palco de grandes momentos históricos, desde a presença romana até às lutas decisivas pela independência, deixando um incontornável património cultural. Situada na margem esquerda do rio Lena, a Vila da Batalha deve a sua origem à construção do Mosteiro de Santa Maria da Vitória, como ex-voto de uma promessa cumprida, feita no campo onde foi travada a Batalha Real. O primeiro núcleo populacional, maioritariamente de origem
operária pois integrava bom número de artífices que trabalhavam nas obras do mosteiro, foi crescendo e prosperando ao longo do século XV, tendo sido elevado à categoria de Vila, a 18 de Março d 1500, através de carta régia de D. Manuel, que na véspera tinha delimitado o seu termo (concelho) bastante menor que o actual. Já em 1512 foi criada a Paróquia (ou freguesia), da Exaltação da Santa Cruz.
O nome e a própria vida a Vila da Batalha estão pois, intrinsecamente associados à história do Mosteiro, a sua principal pérola monumental que a transforma num dos locais mais visitados da região e do país.
Outros monumentos, embora de menor valia artística, podem ser visitados na vila da Batalha: a Igreja Matriz, iniciada no ano de 1514, com um portal manuelino de mestre Boutaca; a capela da Santa Casa da Misericórdia de estilo barroco/joanino do século XVIII; e a Ponte da Boutaca, obra revivalista e traça neogótica, da segunda metade do século XIX, localizada a poente do Mosteiro.

Monumentos a Visitar na Batalha

Os Monumentos que podem ser visitados na Batalha são os seguintes: Mosteiro da Batalha / Mosteiro de Santa Maria da Vitória, Igreja da Exaltação de Santa Cruz / Igreja Matriz da Batalha, Igreja Matriz da Batalha, Pelourinho da Batalha, Busto de Mouzinho de Albuquerque, Capela de Santo Antão, Capela de São Mateus, Capela do Senhor Bom Jesus dos Aflitos, Capelinha da Memória, Edifício de Horácio dos Santos Monteiro, Edifício do século XVIII no Largo Goa, Damão e Diu, Ermida da Senhora do Fetal, Ermida de São Bento da Cevidade, Estátua equestre de Nuno Álvares Pereira, Fonte de Reguengo de Fetal, Igreja da Misericórdia da Batalha, Igreja Nossa Senhora dos Remédios / Igreja Matriz de Reguengo do Fetal, Moinhos da Portela das Cruzes, Monumento aos Militares das Guerras de França e África, Ponte do Boutaca, Santuário Senhora do Fetal, Solar das Famílias Salles Zuquet e Oliveira Simões.

Link dos Monumentos na Batalha: http://www.igogo.pt/monumentos-batalha/

Mosteiro da Batalha


Trata-se de um dos maiores e mais belos monumentos góticos de Portugal, sendo o primeiro de arte manuelina do século XVI. O Mosteiro da Batalha é o símbolo mais marcante da Dinastia de Avis. Dom João I, na sequência de um voto à Virgem, caso vencesse a Batalha de Aljubarrota, em 1385, mandou iniciar a obra no ano seguinte, sob direcção do arquitecto português Afonso Domingues. Dessa fase resultou grande parte das estruturas da igreja e duas alas do claustro.


Em 1402, a direcção das obras passou para o Mestre Huguet. A esta época correspondem a matriz gótica flamejante, o abobadamento dos espaços da igreja e da Sala do Capítulo, a construção da Capela do Fundador e, ainda, o início das obras das Capelas Imperfeitas. No século XV construiu-se o Claustro de D. Afonso V e no reinado de D. Manuel fecharam-se as janelas das galerias do claustro e retomaram-se as obras das Capelas Imperfeitas. A partir de 1840 foi alvo de obras de restauro. Em 1980 foi transformado em Museu, funcionando, aqui, duas oficinas de cantaria e de vitral. Em 2007 foi votado uma das sete maravilhas de Portugal.


Localização da Batalha
Coordenadas para GPS: 39.658952,-8.826507 fica a 54km da Vivenda Gonçalo


A - Vivenda Gonçalo     B – Batalha

Postagens recentes